Site Meter



glimpses





o que primeiro vi logo depois das gymnopédies vi as palavras partidas o caos dos pés seguem-se cortes os cacos das palavras o que revi o que vi foi que

te vivia

vivíamos assim ali naquela piscina de azuis eléctricas águas tenho essa necessidade de repetir tranparente água apesar do sujo que era das coisas que flutuavam emergindo ao longo da superfície era tudo tão intensamente verde e azul repito excessivo sendo ali tão nós tão cor tu falavas mas só dos dedos

te ouvia

um dia um dia de flutuação tudo num só dia antes das cerejas e das pêras e de muitas coisas breves como outras mais longamente fomos assim num só dia e depois muitos dias imensos antes da menina nascer havia de se chamar como os contos nos livros amarelos a preto e branco ainda antes de tudo extensamente

te acontecer

aconteceu-nos um único dia de meses atravessando a esbracejar a trepidar a tropeçar num a doer as pernas de

te correr

a fio e o peito de atravessar num tropel afogada de asas ainda antes pensei quando fosses na direcção a cabo verde andavas sempre a

preparar-te

andanças e danças onde não era senão eu um corpo levíssimo demasiadas penas a

flutuar-te

quando antes te sabia assim amarelo verde agora ainda mais azul quando partires ai quando

te fores

aí na direcção de todo o mundo a caber-me num mindelo suave de pulsos abertos mapa líquido de olhos a correr voar a praia branca e não penses que não

te conheço

de cor na raiz mais profunda do desejo ainda antes de seres tão actor não penses assim na morte dos olhos nos cortes o vómito que não como sabes assim nem penses





foto de Paulo César

10 comentários:

clotilde disse...

Nem penses tu... :)

un dress disse...

auto-reflexo em espelho

à noite

em segredo:

se a memória abre

se a memória

.fecha.

Anónimo disse...

mas que escrita tão viva! azul de sangue a correr?..

Claudia Sousa Dias disse...

O teu blog é lindíssimo.


Voltarei.


CSd

Maria Laura disse...

Intenso. Tirado de dentro. Ainda com sangue.
Gostaria de te ler mais. Bom 2008

~pi disse...

enough. these glimpses...

ContorNUS disse...

venoso...gostei de te ler...

Anónimo disse...

venoso?
envenenado!

ana disse...

azul da água e do ar.
e como te reconheço!
tão denso e belo, como inútil.
ou talvez não.

elena disse...

espalhar a dor

Arquivo do blogue



ROSASIVENTOS
DMCA.com