Site Meter









vejo com pasmo
[ e confirmo com
previsto agrado

que baste

[ que em nada baste
que as palavras se destapem
dos seus corações em cio
e mergulhem facilissimamente
no domínio comum das bocas
seta recta a perfurar códigos de espaço

[ assim inaugurais
infladas de corpos
insignificantes

insignificados


refirmo a confirmação de como
em quase tudo
[ em todo o quase
da sua génese à quase possível verdade
nos enganam tanto a trocar de olhar

mas sobretudo

como por vontade nossa nos queremos enganar

[ e estendemos a ondulação do pescoço preliminar
assim
tão perto a ler

as órbitas multilinguais

dos signos que julgamos

amestrados







[ fot sweet serenity of books linda veit

18 comentários:

mdsol disse...

O corpo e as linguagens...
:))

rosasiventos disse...

entre o real e a incrível extrapolação do campo semântico na escrita.

de facto, cada um vendo o que precisa de ver em cada palavra,o seu próprio significado como leitor,

e porém, simultaneamente a outra intensa verdade - de cada uma delas, na boca de quem as escreve, o seu destino certo, apontado como seta ao coração,


...

um Ar de disse...

Pois, é...
[Beijo]

Justine disse...

"Pela palavra surge a rima" ou não, mas neste caso surge beleza, jogo, inovação.
A foto, a destilar melancolia...

observatory disse...

Pois, é...
[Beijo]

mesmo

Véu de Maya disse...

Brilhante..numa palavra..toda a ironia e sobressalto do Mundo...e acima d tudo a sua beleza e maravilhamento...

abraço solto

Maria Laura disse...

Sobretudo como por vontade nossa nos queremos enganar...
Julgamos os signos amestrados de acordo com o que quremos que eles signifiquem. Mas não é bem assim...

legivel disse...

... foi nos preliminares (ou no prólogo se assim quiserem) que Márcia estendeu o pescoço daquela forma que só ela dominava: em convulsões ondulantes. E as órbitas rolantes e ávidas que tudo açambarcavam, perto, cada vez mais perto?
Espantado, submisso e aberto na página 3, ele não ofereceu resistência. Saciada, ela só se afastou quando leu a palavra FIM.

intimidades disse...

Por vezes prefiro enganar-me a mim mesma

Bom la vou eu a descoberta destas novas tecnologias haha

jokas

Paula

instantes e momentos disse...

lindissimo.
Maurizio

heretico disse...

uma agradável descoberta o teu espaço. de grande qualidade.
e em exclente(s) companhia(s).

peço licença para frequentar.

"as órbitas multilinguais
dos signos que julgamos
amestrados..."

"invejo" estas palavras!

intimidades disse...

porque nao os outros corpos.
Por duas razoes
a primeira porque uso as fotos para tentar transmitir o meu estado de espirito no momento, e como sou mulher identifico-me mais com um corpo femenino.

E como fotografa (muito amadora) e amante de fotografia do nu, gosto mais da estetica do corpo femenino

Jokas

Paula

antónio m p disse...

«como por vontade nossa nos queremos enganar». Também acho. Saia dessa; há tanta beleza real à nossa volta e desde logo em si mesma - permito-me supor - , que não é preciso enganar-se, basta procurar-se. Digo eu...

Dois Rios disse...

as palavras não se bastam.

beijos,
Inês

elena disse...

o que mais interessa do ponto de vista da pleitura, são as perspectibas e os ângulos mais improváveis.
mas também os que mais se prestam à deslocação aleatória da mesma leitura...

SMA disse...

Algo me diz que virei roubar algumas das imagens
.
.
.
em troca um bjnh
.
.
gostei muito

nana disse...

e no entanto......




.....




no entanto.




.

Vieira Calado disse...

Aprecio estes experimentalismos.
Também pratico a modalidade.
Abra´´´´´ço

Arquivo do blogue



ROSASIVENTOS
DMCA.com