Site Meter




@






trezentos kilómetros:
novecentos mil kilómetros

inúteis

a voz na tarde

inquisitante

(mezinhas e murmúrios
odor arcaico de horário

vai atrasado o texto vai a direcção por tomar)

a urgência turquesa do mantra silvando à perna azul do pneu o fumo
distar-se

futuramente veloz

(a besuntação do unguento (irromper o quê corromper

qual qual texto -))

embrulhar pastosamente o plástico dos dias
a gradação
vegetativa descritiva e doméstica das vírgulas

(vagamente masturbatória

mudamente fissurando o olhar

(parentesis recto mastigar circular analisar

emudecer mudar

ao fim do tempo tempos
todos os verbos se opacam
acolando tremuras

cuidados de si reflexivamente

intransitados

esmagar a cabeça nas laranjas diluir horas

persignar prelúdios perder direcções

- vai vai atrasar o texto ))

beber à boca do glaciar

desaparecer) se (no texto rio

para sempre sempre apesar cada

instante





imagem: William_Wood_Untitled_2007

18 comentários:

ana disse...

sumo de laranja, com palavras a obiar

ana disse...

boiar.

K disse...

Sem medo e partir...até ao fim que seja um novo começo...

K disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
BANDEIRAS disse...

Gente!!!!!!!

Hoje é dia internacional do beijo, não tem contra indicações, não vale economizar, ou quardar para depois de amanhã...
No blog beijinhos para todo mundo.

Muito bom o post, até o fim do tempo os tempos todos.
bjs

JRL disse...

gosto da ideia de atrasar o texto... para sempre, sempre, em cada instante, apesar... ;) um abraço.

Vieira Calado disse...

A modernidade bem esgalhada!
Gostei.
Um abraço

Stella Nijinsky disse...

Trezentos Kilómetros,

serão sempre trezentos kilómetros.

Stella

laura disse...

blue velvet...

Rui disse...

Tanto asfalto atrás das costas. Horizonte de alcatrão.

Ad astra disse...

até ao fim...dos tempos

Maria Laura disse...

Slow down! Slow down!

Anónimo disse...

Fala-se não poder conter as palavras e as suas vidas na vida.

RAFAEL REYES LÓPEZ DE NEIRA disse...

Nunca se fan tantos kilometros para nada, acho eu.

Carlos Ramos disse...

Miss�o do poeta. Bela composi�o. Belo Blogue. Tricot de aranha... sumarenta.

burro disse...

tudo bom para ti...

elena disse...

capaz de muitos mais trezentos, quatrocentos.

legivel disse...

porque acontece
que em cada instante
se desaparece
é uma constante.

Arquivo do blogue



ROSASIVENTOS
DMCA.com